Kit para emergências que você deve ter no carro

Ter alguns acessórios ou ferramentas no seu carro pode evitar maiores problemas e até mesmo poupar o seu tempo na estrada caso aconteça algum imprevisto. Você sabe quais acessórios são importantes? Confira o kit emergência que montamos com alguns itens essenciais para tirar você de algumas situações complicadas.

  1. Lanterna: O seu carro estragou no meio da noite? Sempre é bom ter uma lanterna carregada em seu veículo, além de ser útil caso ocorra algo a noite, é importante para enxergar melhor algumas partes internas do seu carro.
  2. Kit Primeiros Socorros: Utilizado para tratar ferimentos leves, um bom kit de primeiros socorros é sempre importante, ainda mais em viagens. Existem kits prontos para serem comprados nas farmácias, mas o ideal é ter gazes, ataduras, tesoura, antisséptico e luvas. Remédios para dor de cabeça, tontura, enjoo ou algum desconforto também são importantes, lembrando sempre que esses produtos possuem prazo de validade.
  3. Ferramentas: Não é necessário carregar diversas ferramentas no seu carro, mas algumas, como chave Phillips, chaves de fenda, alicates, tesoura, chaves combinadas e inglesas, podem te ajudar em algumas situações. É importante manter essas ferramentas juntas no mesmo local do carro, normalmente o porta-malas, assim fica mais prático quando for usar. Reúna as ferramentas em uma caixa, de preferencia resistente e a prova de água, com compartimentos para organizar.
  4. Cabo de Recarga de Bateria: Ficar sem bateria no carro não é uma opção para nós. Por isso, um bom cabo de recarga também deve ser adicionado ao kit de ferramentas para dar início a bateria ou até mesmo fornecer uma carga ao veículo.

Já está com o seu kit pronto? Monte o seu e vá para qualquer lugar preparado!

Cuidados que você deve ter com o estepe

Sempre falamos da importância de ter a manutenção dos pneus em dia, mas muitos motoristas esquecem de conferir as condições do estepe do carro, não é mesmo? Quando foi a última vez que você conferiu como está o seu? No post de hoje vamos passar algumas dicas e orientações sobre essa parte do carro.

O estepe nada mais é do que o pneu reserva do seu carro. Caso aconteça algo com algum dos pneus ele deve ser usado para substituir, tornando o processo muitas vezes mais rápido do que chamar o seguro. Além de servir como uma segurança/garantia, o estepe é um item obrigatório no carro previsto por lei. Caso você não esteja com ele no carro a punição prevista é de cinco pontos na carteira mais multa de R$195,23.

Para garantir que o estepe do seu carro está em boas condições é necessário conferir a data de validade. Pneus fora da validade podem causar ressecamento da borracha e consequentemente estouros ou danos ao carro, a data normalmente está escrita na lateral do pneu com as iniciais “DOT”. Lembrando que a validade dos pneus é de normalmente 6 anos, sendo usado este prazo também para o estepe.

Para evitar maiores problemas, sempre mantenha o estepe calibrado, pois mesmo estando guardado, este pneu também perde pressão conforme o tempo. A pressão indicada para o pneu reserva é informada no manual do veículo, mas alguns motoristas preferem calibrar com a mesma pressão dos outros pneus, ou um pouco acima.

O tamanho do estepe também é muito importante ser analisado, se o tamanho do aro dos pneus for alterado, é necessário que o estepe também seja alterado. Aros com tamanhos diferentes podem provocar desgaste precoce dos pneus e afetar a geometria do carro.

Com essas dicas o estepe do seu carro ficará sempre pronto para te ajudar, mas lembre-se, o estepe é um pneu reserva, não deve ser utilizado por muito tempo, o recomendado é que a substituição seja feita assim que possível.

 

Você sabe como funcionam os sensores para carros?

A tecnologia está cada vez mais presente nas nossas vidas, ainda mais quando o assunto é carro. Muitas das manutenções atualmente são realizadas através de computadores e programações, ao invés de serem usadas ferramentas. Com base nisso, separamos algumas informações sobre os sensores utilizados nos automóveis, os quais deixam a direção mais segura e oferecem ao condutor uma maior comodidade e conforto na hora de sair dirigindo.

Os sensores para carros coletam dados e sinais importantes para o motorista, com o objetivo de tornar a direção algo cada vez mais seguro e tranquilo. Estes dados são gerados para o condutor de diversas formas, podem ser sonoras ou visuais, podendo ser sinalizados no painel do carro ou através de sinais sonoros emitidos pelos sistemas.

Os principais sensores encontrados nos carros são o de estacionamento traseiro e funcionamento do motor, mas alguns carros contam com sensor de ponto cego, pedestres, leitores de placas ou obstáculos. Tudo pensado para evitar acidentes e prejuízos futuros ao motorista.

A maioria dos sensores podem ser instaladas em qualquer modelo de carro, desde que esta instalação seja feita de forma correta e não afete nenhum componente do automóvel. Para isso é recomendado que os sensores sejam instalados por profissionais experientes e que utilizem os materiais corretos.

Antes de fazer a instalação de algum sensor no seu carro é importante verificar a tensão elétrica do seu veículo, ela deve ser de 12 volts, a qual é padrão nos carros, mas se quiser conferir, esta informação é encontrada do manual do carro.

Com essas informações e com os sensores instalados corretamente fica muito mais fácil e seguro sair dirigindo com o seu carro!

Juntas Homocinéticas – você sabe qual é a função?

Você sabe qual a função da Junta Homocinética? Ela é um componente com simples funcionamento e manutenção, mas que possui grande importância na mecânica do automóvel.

As Juntas Homocinéticas têm como função a transmissão da força do motor para as rodas de tração, fazendo com que, mesmo em condições diferenciadas, o carro não perca tração e consequentemente potência. Sem este recurso, ao passar em buracos e desníveis, as rodas podem não funcionar corretamente ou até mesmo travar o carro.

A manutenção deste componente é simples, podendo ser realizada a cada 50.000km, vale lembrar que algumas podem não precisar de manutenção em toda a vida útil do veículo, mas alguns cuidados podem ser tomados para aumentar a durabilidade ou até mesmo para fazer a troca desta peça, como evitar buracos, grandes arrancadas ou personalizações mal feitas, as quais podem causar rachaduras e danificar este sistema.

É importante sempre manter a geometria original da suspensão, cuidar dos coxins, os quais ajudam a manter o alinhamento de um conjunto de peças, fazer a cambagem certa, aplicar o torque recomendado e não reutilizar a graxa ou a coifa, pois os mesmos podem diminuir a vida útil da peça.

Sendo composta por um sistema simples de rolamentos, a junta homocinética é essencial para o pleno funcionamento do veículo, e com alguns cuidados pode não trazer problemas ao motorista, mas se não houver a manutenção no tempo certo pode causar sérios acidentes.

Transporte a sua bike de forma segura

Levar a bike para os finais de semana na praia ou no campo é uma exigência da maioria dos motoristas que buscam por sossego e tranquilidade nas férias de verão. Mas você sabe qual é a maneira correta de fazer este transporte sem oferecer riscos à segurança?

Antes de colocarmos a bike no carro é necessário verificar a capacidade de carga do seu veículo. Preste atenção nas informações contidas no manual e nas bagagens já carregadas, a sobrecarga do veículo ocasiona desgaste precoce de peças e pode até mesmo causar acidentes.

Além disso, segundo a regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito, é importante que ao ser acoplada ao veículo a bicicleta não deve atrapalhar a visibilidade da placa ou luzes e refletores, nem comprometer a estabilidade ou a condução.

Bikes transportadas na parte externa do veículo devem possuir dispositivos apropriados, podendo ser móveis ou fixos, e acoplados diretamente no veículo ou ao reboque. Estes dispositivos, chamados de racks, causam certas dúvidas ao motorista, confira as dicas que separamos para você sobre este assunto:

Antes de adquirir o suporte ideal para o seu veículo é importante analisar o caminho que vai ser feito e o tamanho do seu carro, nesta escolha devem ser levados em consideração os aspectos que citamos anteriormente, como visibilidade, segurança e tamanho.

Existem três tipos de suportes mais comuns: traseiro, de teto e acoplado ou engate. O rack traseiro é mais fácil de ser instalado e não é necessário que a bicicleta seja desmontada para o transporte, além de ser mais barato e mais prático é o suporte que requer mais atenção. Devem ser analisados a altura da bike, pois ela não pode encostar no chão durante o trajeto, e a visibilidade da placa, caso a placa seja afetada pela bike, é necessário o uso de uma segunda placa anexada a bicicleta.

O suporte de teto, normalmente utilizado em rodovias, possui um custo mais elevado, evita que a placa seja afetada e deixa a traseira do veículo livre, evitando perdas e colisões e facilitando caso o condutor precisa ter acesso ao porta-malas do carro. A utilização deste tipo de rack requer atenção do motorista pelo percurso, evitando galhos de árvores ou passarelas mais baixas.

E por fim, o suporte acoplado, ou chamado também de engate, sua principal vantagem e uma das razões que faz com que os motoristas escolham esse tipo de rack é o fácil acesso, já que não é necessária força para colocar a bike no suporte. Entretanto, este modelo compromete o acesso ao porta-malas após instalado e necessita de aprovação do Departamento de Trânsito (Detran).

Com essas dicas fazer o transporte da sua bike ficou muito mais fácil e seguro! Escolha o modelo adequado para o seu estilo de vida e principalmente para o modelo do seu carro e curta o final de semana sem preocupações.

Cuidados que você deve ter com os freios do seu carro

Quais são os cuidados que você deve ter com os freios do seu carro? Listamos algumas maneiras de deixar esse recurso sempre novo e evitar acidentes e prejuízos no seu orçamento. Com os freios em ordem a chance de acidentes é muito menor, mas é importante lembrar que a manutenção dessa parte do carro deve ser feita por completo em determinados prazo. Pastilhas, lonas, discos e tambores fazem parte do freio e o motorista deve estar atento a essas peças.

Freadas bruscas desgastam mais rapidamente o disco, com base nisso é importante que o motorista tenha cuidado na hora de freiar, pois o tempo de conservação desse recurso depende da forma como ele é usado.

Outra parte muito importante do freio, é o fluído de freio, o qual é um óleo sintético que tem como sua principal função transferir a força feita pelo motorista no pedal para as rodas, ou seja, é o fluído do freio que aciona o freio e faz com que ele responda aos comandos do condutor. A troca desse fluído é sugerida que seja feita anualmente ou a cada 10.000km rodados.

Fique atento as pastilhas de freio, pastilhas desgastadas podem causar grandes acidentes e comprometer o sistema de freio do seu veículo, alguns carros, quando detectam que as pastilhas estão gastas acendem algumas luzes no painel, é importante estar atento a esses recursos e avisos para que o seu carro esteja em perfeitas condições.

Concluindo, fique atento a ruídos, luzes e o tempo que o seu carro leva para parar, muitos acidentes podem ser evitados quando a manutenção do seu carro está em dia.

[Top 5] – Dicas para manter o seu carro sempre novo – Disk Peças

Como todos os recursos, os carros também merecem um pouco da sua atenção. Cuidados básicos e rotineiros fazem com que o seu companheiro aguente muito mais tempo do que o analisado pelas concessionárias.  Listamos cinco dicas que com certeza vão fazer com que o seu carro continue muito mais tempo andando por aí. Continue lendo “[Top 5] – Dicas para manter o seu carro sempre novo – Disk Peças”