Você sabe qual a diferença entre direção elétrica, hidráulica e mecânica?

          Para alguns, manobrar um carro é uma tarefa simples. Já para outros, nem tanto. Seja por questão de habilidade ou receio, a facilidade na hora da manobra pode mudar de acordo com o tipo de direção do seu carro. Hoje no mercado existem três opções principais: a elétrica, a hidráulica e a mecânica. Quais são as diferenças? Quais são as vantagens e desvantagens de cada uma?  Separamos algumas informações para facilitar a sua escolha:

– Direção Mecânica

Esse é o primeiro recurso disponibilizado no mercado, surgindo nos anos 1894. Claro que nos últimos anos ele melhorou e muito, mas o princípio é o mesmo: ele não tem nenhum recurso que ajude ou facilite na hora de manobrar. O primeiro componente do sistema de direção mecânica é o volante, que basicamente permite ao motorista movimentar as rodas. Esse movimento será levado à caixa de direção por meio da coluna de direção. Há ainda as barras de direção, que interligam a caixa de direção às rodas.

Esse tipo de direção não é recomendado se o motorista procura um conforto maior na hora de direção, já que o movimento do volante e das rodas será definido pela força física do condutor. Já se o proprietário do automóvel procura economia, a direção mecânica é a com menor custo de manutenção do mercado, já que não possui nenhum componente eletrônico e nem requer a troca de fluidos.

– Direção hidráulica

          Essa forma de direção também é um pouco mais simples, mas já é melhor que a anterior. Ela surgiu no Brasil na década de 60 e é dotada de uma bomba hidráulica, um reservatório de óleo e uma série de mangueiras que ficam encarregadas pela circulação do fluido. Esse sistema consegue diminuir o esforço do motorista em até 80%, dependendo do veículo, já que parte da força é realizada pela pressão do fluido.

          Hoje, a direção hidráulica é a mais popular nos carros brasileiros, visto a facilidade que ela traz ao motorista. A manutenção é mais frequente que a mecânica, já que o fluido precisa ser verificado com alguma frequência, de acordo com as especificações do manual do proprietário.

– Direção elétrica

          A direção elétrica é a mais moderna do mercado, surgindo na década de 80. O seu funcionamento consiste em um motor elétrico posicionado na barra de direção com sensores que detectam o movimento do volante feito pelo motorista, auxiliando na manobra e na diminuição do esforço. A sua principal diferença em relação à anterior é que ela dispensa a bomba, o óleo e as mangueiras.

          Em relação à manutenção, uma pane no sistema elétrico pode sair um pouco mais cara do que o desejado. Entretanto, a direção continuará funcionando, mas irá demandar mais força por parte do motorista. Esse problema pode ser facilmente evitado com revisões periódicas.