Gasolina Comum x Aditivada: qual escolher?

Se você é daquelas pessoas que fica em dúvida na hora de abastecer, esse texto vai tirar algumas das suas dúvidas. A diferença básica entre os dois tipos de gasolina é que a aditivada recebe um pacote de aditivos detergente/dispersante, que mantém limpo todo o sistema de alimentação do combustível, diferente da comum, que não recebe. Mas fique atento: um carro desacostumado a receber aditivos pode apresentar problemas e um carro com maior potência e performance não reage bem à gasolina comum.

          Antes de qualquer coisa, consulte o manual do proprietário para saber qual é o tipo de gasolina recomendado para o motor do seu carro. Lá você vai encontrar não apenas o tipo do combustível, mas também a octanagem recomendada. Se o seu carro tiver uma potência maior, como é o caso de alguns importados, por exemplo, e receber a gasolina comum, o desempenho do motor não será como o esperado.

          Depois disso, defina onde você vai rodar com o seu carro. Se o destino for os grandes centros, onde o ‘anda e para’ é frequente, segundo a ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis), o mais indicado é a gasolina aditivada. Já se você vai pegar a estrada para distâncias mais longas, a gasolina comum é aceitável.

          Caso você pense em migrar da gasolina comum para a aditivada, faça essa mudança aos poucos. Alguns carros aceitam a mudança bem, já outros podem apresentar problemas por conta dos aditivos. Então, comece com 10% de aditivada e siga aumentando até chegar a 100%.

          Uma outra opção é a gasolina Premium. O seu principal diferencial é a octanagem mais alta que funciona muito bem nos carros mais potentes. Entretanto, ela pode ser usada em todos os carros, já que traz benefícios ao motor, deixando um baixo nível de depósito, maior desempenho e menor impacto ambiental.

          Agora que você já conhece um pouco mais das opções do mercado, estude seu carro e perceba o que ele precisa. Depois disso, procure um posto de confiança, que não venda gasolina adulterada, já que os danos que ela causa no motor podem causar despesas inesperadas e bem altas. Por fim, é só dar a partida e curtir o caminho sem preocupações.

Danos de andar com o carro na reserva

O seu carro chegou na reserva, mas você ainda não foi abastecer? Será que esta prática de continuar rodando, mesmo com pouco combustível, traz alguma consequência para o veículo? É isso que nós vamos te explicar no post de hoje.

Muitos motoristas possuem o hábito de deixar o carro chegar ao nível de reserva para então abastecer, muitas vezes pelo fato dos postos de combustível contarem com grandes filas, ou por terem pouco tempo para realizar esta atividade. A quantidade da reserva do veículo é muito relativa, esta variação se diz pelo fato do modelo do carro ou da montadora, mas o comum encontrado é de 5 à 8 litros. Muitos pensam que a reserva se encontra em um tanque extra, mas não, ela é apenas uma porcentagem do próprio tanque do carro que quando alcançada a quantidade determinada faz um aviso aparecer no painel.

Como não é certa a porcentagem de combustível que ainda resta no tanque, fica difícil calcular qual a quilometragem que o veículo ainda consegue percorrer após o sinal de alerta ser emitido, por isso a reserva deve ser utilizada apenas para casos emergenciais, o recomendado é sempre procurar o posto mais próximo e parar para abastecer.

Os danos de transitar com o carro na reserva vão muito além de ficar sem combustível, vale lembrar que a pane seca, como é chamada quando o veículo para de andar devido à falta, é regulamentada como infração de trânsito pelo Código de Trânsito Brasileiro, podendo gerar multa para o condutor, com aplicação de pontos na carteira e remoção do veículo do local. Além disso, a prática de andar na reserva traz dados materiais, a bomba de combustível é uma das principais afetadas, pois ela é responsável por alimentar o motor, e utiliza o próprio líquido como meio de resfriamento. Se o tanque se encontra vazio, ou com pouco recurso, pode ser que o resfriamento não seja feito corretamente, provocando o superaquecimento das suas funções.

Outro ponto que devemos analisar é que as impurezas do combustível sofrem o processo de decantação, com isso toda a sujeira encontrada no líquido é acumulada no fundo do tanque, com a falta deste recurso a bomba de combustível pode levar ao motor sujeira e impurezas, provocando assim falhas tanto na bomba, como consequentemente no motor do veículo.

Quer evitar todo este prejuízo e não sofrer com a falta de combustível? O recomendado é abastecer o carro quando ele chegar à marca de ¼ do tanque todo, fazendo com que ele esteja sempre em um nível adequado e o carro continue rodando sem falhas.