Hatch X Sedan! Qual a diferença?

Chegou a hora de trocar ou comprar um carro para ter maior mobilidade, conforto e liberdade? Este momento requer diversas análises de qual modelo se adaptará para o seu estilo de vida e quais funcionalidades você procura em um automóvel.

Muitos buscam por carros com espaço interno confortável, porta-malas que comporte uma viagem em família e claro, segurança. Dentro desses requisitos é comum achar carros dentro de dois modelos, sendo eles hatch e sedan. Você sabe quais são as diferenças entre essas nomenclaturas? Preste atenção que vamos te explicar agora!

Os dois modelos trazem conforto e segurança ao condutor e passageiros, mas sua principal diferença está no comprimento do veículo. Os sedans são conhecidos por terem sua parte traseira mais alongada, já os hatchs possui sua traseira mais compacta.

Dentro do modelo sedan, existem algumas categorias conforme seu espaço, sendo elas:

Sedan Compacto: neste tipo de veículo a motorização possui menos potência que os demais, tornando seu preço ainda mais acessível.

Sedan Médio: indicado para as famílias que buscam por conforto, o sedan médio pode ser uma ótima opção, pois conta com mais espaço.

Sedan Grande ou Superior: essa categoria é a mais completa dentro das analisadas, onde se encontram veículos de alto desempenho e um conforto sem tamanho.

Para os modelos de carros hatch também existem categorias:

Hatch Compactos: são os carros mais populares, contando com um preço mais baixo e sendo veículos bem econômicos. Além disso, este modelo conta com menor extensão, sendo mais fácil de manobrar e estacionar.

Hatch Esportivo ou Hatch Médio: essa categoria conta com um pouco mais de espaço em relação a anterior, mas sua principal diferença está no motor, sendo ele mais potente.

Hatch Superior: também chamada de Premium, os hatchs superiores oferecem muito conforto e espaço aos passageiros, além disso a maioria deles possui um design mais esportivo.

Agora que você conhece cada modelo, ficou mais fácil escolher aquele que se adequa ao seu dia a dia? Qual deles melhor se encaixa no seu estilo de vida?

Nova Placa – Padrão Unificado Mercosul

Muitos ainda têm dúvidas em relação ao novo padrão da placa adotado pelos países do Mercosul, não é mesmo? Principalmente pelo prazo de adoção do novo layout ter sido adiado tantas vezes, deixando os motoristas confusos em relação a sua implementação. Confira no post de hoje todas as informações sobre este assunto.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiou para o dia 30 de junho de 2019 o prazo de adoção dos estados para o novo padrão das placas automotivas. Com isso, os novos carros emplacados, ou aqueles que forem transferidos de municípios ou donos, deverão contar com o novo padrão estabelecido conforme a legislação.

Mas, você sabe qual foi o motivo dessa mudança no padrão? Ele foi definido em 2014, e desde lá vem causando dúvidas aos condutores, fazendo com que muitos achem que essa mudança não afetará em nada. O emplacamento unificado já é utilizado pelo Paraguai e Uruguai, e esta proposta foi feita para unificar o banco de dados entre os países membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela), facilitando assim o combate ao tráfico de veículos roubados.

Vale lembrar que este padrão será obrigatório para carros que serão emplacados pela primeira vez ou que serão transferidos, se o seu carro não sofrerá nenhuma dessas atividades você pode circular normalmente com a placa antiga. Mas, se quiser adotar o novo padrão, é só procurar o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) mais próximo para efetuar o emplacamento.

Outra curiosidade que a placa unificada possui é que se o veículo emplacado com o novo padrão se mudar de propriedade ou município ele não necessita a mudança de placa, como ocorre no modelo atual. Em relação a segurança, o novo modelo conta com a código de barras e QR Code, além de padronização do fundo branco e o aumento da identificação, devido ao fato de conter mais letras do que números.

Transporte a sua bike de forma segura

Levar a bike para os finais de semana na praia ou no campo é uma exigência da maioria dos motoristas que buscam por sossego e tranquilidade nas férias de verão. Mas você sabe qual é a maneira correta de fazer este transporte sem oferecer riscos à segurança?

Antes de colocarmos a bike no carro é necessário verificar a capacidade de carga do seu veículo. Preste atenção nas informações contidas no manual e nas bagagens já carregadas, a sobrecarga do veículo ocasiona desgaste precoce de peças e pode até mesmo causar acidentes.

Além disso, segundo a regulamentação do Conselho Nacional de Trânsito, é importante que ao ser acoplada ao veículo a bicicleta não deve atrapalhar a visibilidade da placa ou luzes e refletores, nem comprometer a estabilidade ou a condução.

Bikes transportadas na parte externa do veículo devem possuir dispositivos apropriados, podendo ser móveis ou fixos, e acoplados diretamente no veículo ou ao reboque. Estes dispositivos, chamados de racks, causam certas dúvidas ao motorista, confira as dicas que separamos para você sobre este assunto:

Antes de adquirir o suporte ideal para o seu veículo é importante analisar o caminho que vai ser feito e o tamanho do seu carro, nesta escolha devem ser levados em consideração os aspectos que citamos anteriormente, como visibilidade, segurança e tamanho.

Existem três tipos de suportes mais comuns: traseiro, de teto e acoplado ou engate. O rack traseiro é mais fácil de ser instalado e não é necessário que a bicicleta seja desmontada para o transporte, além de ser mais barato e mais prático é o suporte que requer mais atenção. Devem ser analisados a altura da bike, pois ela não pode encostar no chão durante o trajeto, e a visibilidade da placa, caso a placa seja afetada pela bike, é necessário o uso de uma segunda placa anexada a bicicleta.

O suporte de teto, normalmente utilizado em rodovias, possui um custo mais elevado, evita que a placa seja afetada e deixa a traseira do veículo livre, evitando perdas e colisões e facilitando caso o condutor precisa ter acesso ao porta-malas do carro. A utilização deste tipo de rack requer atenção do motorista pelo percurso, evitando galhos de árvores ou passarelas mais baixas.

E por fim, o suporte acoplado, ou chamado também de engate, sua principal vantagem e uma das razões que faz com que os motoristas escolham esse tipo de rack é o fácil acesso, já que não é necessária força para colocar a bike no suporte. Entretanto, este modelo compromete o acesso ao porta-malas após instalado e necessita de aprovação do Departamento de Trânsito (Detran).

Com essas dicas fazer o transporte da sua bike ficou muito mais fácil e seguro! Escolha o modelo adequado para o seu estilo de vida e principalmente para o modelo do seu carro e curta o final de semana sem preocupações.