Hatch X Sedan! Qual a diferença?

Chegou a hora de trocar ou comprar um carro para ter maior mobilidade, conforto e liberdade? Este momento requer diversas análises de qual modelo se adaptará para o seu estilo de vida e quais funcionalidades você procura em um automóvel.

Muitos buscam por carros com espaço interno confortável, porta-malas que comporte uma viagem em família e claro, segurança. Dentro desses requisitos é comum achar carros dentro de dois modelos, sendo eles hatch e sedan. Você sabe quais são as diferenças entre essas nomenclaturas? Preste atenção que vamos te explicar agora!

Os dois modelos trazem conforto e segurança ao condutor e passageiros, mas sua principal diferença está no comprimento do veículo. Os sedans são conhecidos por terem sua parte traseira mais alongada, já os hatchs possui sua traseira mais compacta.

Dentro do modelo sedan, existem algumas categorias conforme seu espaço, sendo elas:

Sedan Compacto: neste tipo de veículo a motorização possui menos potência que os demais, tornando seu preço ainda mais acessível.

Sedan Médio: indicado para as famílias que buscam por conforto, o sedan médio pode ser uma ótima opção, pois conta com mais espaço.

Sedan Grande ou Superior: essa categoria é a mais completa dentro das analisadas, onde se encontram veículos de alto desempenho e um conforto sem tamanho.

Para os modelos de carros hatch também existem categorias:

Hatch Compactos: são os carros mais populares, contando com um preço mais baixo e sendo veículos bem econômicos. Além disso, este modelo conta com menor extensão, sendo mais fácil de manobrar e estacionar.

Hatch Esportivo ou Hatch Médio: essa categoria conta com um pouco mais de espaço em relação a anterior, mas sua principal diferença está no motor, sendo ele mais potente.

Hatch Superior: também chamada de Premium, os hatchs superiores oferecem muito conforto e espaço aos passageiros, além disso a maioria deles possui um design mais esportivo.

Agora que você conhece cada modelo, ficou mais fácil escolher aquele que se adequa ao seu dia a dia? Qual deles melhor se encaixa no seu estilo de vida?

4 formas de identificar problemas na embreagem

Apesar da crescente frota de veículos com câmbio automático, o câmbio manual ainda é muito comum e está presente em grande parte dos carros que trafegam diariamente nas estradas. A embreagem é um dos componentes fundamentais do carro e, assim como qualquer outra peça, pode apresentar alguns problemas e alguns sinais de que algo não está certo:

Ruído ao realizar a troca de marchas

          Se, ao realizar a troca de marchar do seu veículo, você perceber algum ruído que fuja à normalidade, procure uma oficina mecânica. Isso é um indicativo de que o conjunto da embreagem está desgastado ou no fim da sua vida útil. A única solução aqui é trocar todo o kit.

Pedal Duro

          Caso haja a necessidade de uma força excessiva para acionar o pedal da embreagem, ele está com problemas. Essa é um das questões mais simples de ser resolvida, onde ocorre apenas a troca do cabo da embreagem. É um indicativo de que a lubrificação não está sendo feita da forma correta ou então que o tempo de uso dela já está chegando ao fim.

Embreagem deslizando

          Esse problema pode ser identificado quando a embreagem é acionada e o pedal não volta, sendo um dos mais comuns nas oficinas mecânicas. Isso significa que o disco da embreagem não consegue mais ser freado devido a algum dano ou excesso de resíduos e fluidos, como óleo e graxa. A melhor opção nesse caso também é fazer a troca completa do kit, evitando problemas e acidentes, principalmente em subidas e descidas.

Embreagem desregulada

          Trocar a marcha se tornou desconfortável por conta da altura do pedal? Isso é um indicativo de outro problema: pedal desregulado. Para um conforto maior, o pedal deve estar sempre em um meio termo, nunca muito embaixo nem muito alto. Procure uma oficina mecânica para fazer a regulagem e encontre a melhor altura para você e para o seu carro.

          A melhor forma de evitar esses problemas é manter a manutenção do veículo em dia e, ao notar qualquer coisa diferente, procurar imediatamente um mecânico de confiança para evitar problemas maiores e mais caros. A sua segurança e das outras pessoas no trânsito depende diretamente do bom funcionamento da embreagem. Fique atento.

Dicas para viajar de carro no verão

Você é daquelas pessoas que vai aproveitar a estação mais quente do ano para viajar e conhecer novos lugares? Viajar de carro no verão necessita alguns cuidados, principalmente para evitar problemas ao condutor, passageiros e para o próprio veículo.

Se o seu carro possui ar condicionado, o ideal é fazer uma revisão em todo este sistema antes de sair de férias, assim como uma limpeza nos filtros, para não passar por perrengues durante o trajeto. Vale lembrar que, mesmo sendo um recurso que proporciona alívio do calor, é importante não abusar. As variações bruscas de temperatura podem ser prejudiciais à saúde, causando resfriados e diversas outras doenças.

Viajar por longos períodos necessita, muitas das vezes, paradas para descanso, alimentação e assistência. Não se esqueça de sempre levar garrafas de água e lanches rápidos e práticos para o trajeto. E não se limite em apenas uma garrafa, o ideal é possuir abastecimento suficiente para o trajeto todo e ao alcance de todos os passageiros.

Já sabe qual horário vai sair de casa? Evite horários de pico onde a circulação de veículos é mais intensa. Diversos aplicativos oferecem informações do tráfego de veículos em determinado trecho, alertando para possíveis trajetos com filas e fazendo você economizar tempo dirigindo. Se a sua viagem for longa, planeje paradas para descanso. Para o motorista, longos períodos de condução tornam-se cansativos, por isso procure a cada 2 ou 3 horas parar para esticar as pernas e se a viagem contar com a presença de crianças é recomendado tirá-las da cadeirinha neste momento.

Viajar de carro no calor é uma tarefa bastante complexa para famílias que contam com crianças, para manter esta atividade mais confortável para todos dê preferência para roupas leves e suaves. Para as crianças que utilizam cadeirinhas é importante que o tecido não seja grosso e quente, já que o próprio equipamento de segurança possui camadas extras de tecidos e proteção, fazendo com que a temperatura de contato seja maior e, consequentemente, causa um desconforto maior.

Agora que você já sabe quais são as principais dicas para enfrentar o verão nas estradas, saia de férias tranquilo e tenha o melhor conforto na hora de conhecer novos destinos!

Como dimensionar corretamente a sua garagem?

Ao iniciar a construção de uma casa, uma das dúvidas mais pertinentes é o tamanho ideal para a garagem, já que existem diversos modelos de carros com tamanhos e dimensões diferentes. Há algumas sugestões para esse momento e elas envolvem a quantidade de veículos, a altura, o comprimento e a largura dos mesmos, voltadas para evitar danos na lataria ao abrir e fechar portas e ao circular pelo interior da garagem.
         

Primeiramente é preciso que você analise seu carro, qual é o modelo? É um carro mini, comum ou uma picape? Você pretende trocar esse carro logo? O modelo será o mesmo ou um pouco maior, mais encorpado? Respondida essas perguntas, vamos às medidas:
         

Porta da garagem:

A função de uma porta é óbvia: sair através dela com o seu veículo. Porém, se calculada de maneira errada, pode se tornar uma dor de cabeça para o motorista todas as vezes que for sair de casa. Para a porta, encontre a seguinte medida do seu carro: a largura incluindo os espelhos retrovisores. Caso seu carro possua a função de dobrar esses espelhos, verifique se eles dobram facilmente ou não e qual é a medida com eles nessa posição. Tendo essas medidas, você já possui a largura mínima da sua porta. O mesmo é válido para a altura, verifique todos os detalhes, se seu carro possui ou não racks e se você pretende entrar com objetos em cima dele na garagem.
         

Parte interna:          

Ao entrar na garagem, precisamos conseguir sair de dentro do carro. Para que isso possa ser feito com conforto, o ideal é que a distância entre carro e a parede seja de 6cm a 76 cm. Então, para essa parte, você precisa medir o comprimento e a largura do seu veículo. Para garagens duplas ou triplas, leve em consideração o espaço entre os carros, a posição em que eles irão ficar e, novamente, o espaço necessário para abrir as portas e ou o porta-malas.

Quando pensamos na altura de uma garagem, elas geralmente são um pouco menores que os demais cômodos, mas leve em consideração a utilidade da sua garagem: ela será apenas para os carros ou irá ser também um espaço de armazenamento? Se esse for o seu caso, leve em consideração armários, suportes e todo o resto que você poderá precisar.

Para aumentar ainda mais a sua facilidade, alguns sites de montadoras oferecem tabelas com as medidas de seus carros ou então, você pode consultar o manual e verificar se elas estão lá. Dessa forma, sua garagem se tornará útil e facilitará muito mais o seu deslocamento diário, além de não danificar seu veículo. Sempre opte por deixar um espaço extra, nunca escolha reduzir medidas antes de ter todas as dimensões necessárias.

Nova Placa – Padrão Unificado Mercosul

Muitos ainda têm dúvidas em relação ao novo padrão da placa adotado pelos países do Mercosul, não é mesmo? Principalmente pelo prazo de adoção do novo layout ter sido adiado tantas vezes, deixando os motoristas confusos em relação a sua implementação. Confira no post de hoje todas as informações sobre este assunto.

O Conselho Nacional de Trânsito (Contran) adiou para o dia 30 de junho de 2019 o prazo de adoção dos estados para o novo padrão das placas automotivas. Com isso, os novos carros emplacados, ou aqueles que forem transferidos de municípios ou donos, deverão contar com o novo padrão estabelecido conforme a legislação.

Mas, você sabe qual foi o motivo dessa mudança no padrão? Ele foi definido em 2014, e desde lá vem causando dúvidas aos condutores, fazendo com que muitos achem que essa mudança não afetará em nada. O emplacamento unificado já é utilizado pelo Paraguai e Uruguai, e esta proposta foi feita para unificar o banco de dados entre os países membros do Mercosul (Argentina, Brasil, Paraguai, Uruguai e Venezuela), facilitando assim o combate ao tráfico de veículos roubados.

Vale lembrar que este padrão será obrigatório para carros que serão emplacados pela primeira vez ou que serão transferidos, se o seu carro não sofrerá nenhuma dessas atividades você pode circular normalmente com a placa antiga. Mas, se quiser adotar o novo padrão, é só procurar o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) mais próximo para efetuar o emplacamento.

Outra curiosidade que a placa unificada possui é que se o veículo emplacado com o novo padrão se mudar de propriedade ou município ele não necessita a mudança de placa, como ocorre no modelo atual. Em relação a segurança, o novo modelo conta com a código de barras e QR Code, além de padronização do fundo branco e o aumento da identificação, devido ao fato de conter mais letras do que números.

Cuidados que você deve ter com o estepe

Sempre falamos da importância de ter a manutenção dos pneus em dia, mas muitos motoristas esquecem de conferir as condições do estepe do carro, não é mesmo? Quando foi a última vez que você conferiu como está o seu? No post de hoje vamos passar algumas dicas e orientações sobre essa parte do carro.

O estepe nada mais é do que o pneu reserva do seu carro. Caso aconteça algo com algum dos pneus ele deve ser usado para substituir, tornando o processo muitas vezes mais rápido do que chamar o seguro. Além de servir como uma segurança/garantia, o estepe é um item obrigatório no carro previsto por lei. Caso você não esteja com ele no carro a punição prevista é de cinco pontos na carteira mais multa de R$195,23.

Para garantir que o estepe do seu carro está em boas condições é necessário conferir a data de validade. Pneus fora da validade podem causar ressecamento da borracha e consequentemente estouros ou danos ao carro, a data normalmente está escrita na lateral do pneu com as iniciais “DOT”. Lembrando que a validade dos pneus é de normalmente 6 anos, sendo usado este prazo também para o estepe.

Para evitar maiores problemas, sempre mantenha o estepe calibrado, pois mesmo estando guardado, este pneu também perde pressão conforme o tempo. A pressão indicada para o pneu reserva é informada no manual do veículo, mas alguns motoristas preferem calibrar com a mesma pressão dos outros pneus, ou um pouco acima.

O tamanho do estepe também é muito importante ser analisado, se o tamanho do aro dos pneus for alterado, é necessário que o estepe também seja alterado. Aros com tamanhos diferentes podem provocar desgaste precoce dos pneus e afetar a geometria do carro.

Com essas dicas o estepe do seu carro ficará sempre pronto para te ajudar, mas lembre-se, o estepe é um pneu reserva, não deve ser utilizado por muito tempo, o recomendado é que a substituição seja feita assim que possível.

 

Aditivos

Podendo ser usados no óleo do motor, combustível ou na água do radiador, os aditivos cumprem funções importantes na manutenção e funcionamento das peças do seu carro. Mas você sabe para que eles funcionam?

Proporcionando vários benefícios para o carro e ajudando na prevenção de problemas no motor, os aditivos devem ser utilizados com cuidado e cautela, antes de utilizar algum consulte o manual do seu carro e analise se a sua composição é aceita pelo fabricante, muitos carros não necessitam do uso desse componente e se usado podem causar problemas em seu funcionamento ou até mesmo a perda da garantia do veículo.

No combustível os aditivos são utilizados para evitar o acúmulo de sujeira no motor, evitando assim perda de potência, falhas ou até mesmo entupimentos. Se o seu carro é novo, este recurso pode ser dispensado, pois os mesmos já possuem tecnologia para o uso dos combustíveis sem aditivos. Carros usados ou que não são realizadas as devidas revisões é recomendado utilizar aditivos de limpeza profunda, mas é importante lembrar que o aditivo ajuda no funcionamento do veículo e não na correção de problemas, por isso se o seu carro apresentar falhas ou diferença no consumo de combustível procure um mecânico.

Os aditivos usados no óleo do motor também combatem o acúmulo de sujeira e auxiliam na lubrificação, aumentando a vida útil das peças do motor, normalmente a manutenção deste aditivo é feita na troca de óleo, levando sempre em consideração o tempo estipulado pelo fabricante, tanto do veículo como do óleo. Mas, preste atenção na troca deste recurso, a principal função de manutenção do motor é do óleo e não do aditivo, se usado em muita quantidade pode alterar a sua composição.

Por fim, o aditivo para radiadores, este aditivo tem propriedades que impedem que a água do radiador enferruje as suas partes de metal e também faz com que em temperaturas baixas ou elevadas, a água não congele ou ferva, respectivamente. Os veículos zero-quilômetro já possuem aditivos direto de fábrica e a troca pode ser realizada a cada dois anos. Se o seu carro é usado é aconselhado que a troca seja feita uma vez por ano, para veículos mais antigos também é importante substituir todo o líquido do radiador a cada 12 meses, este procedimento deve ser realizado por um profissional.

Amortecedores, quando trocá-los?

Os amortecedores são peças fundamentais para o funcionamento do veículo, além de proporcionar conforto ao motorista e aos passageiros, eles também são itens de segurança, já que proporcionam estabilidade em grandes ou pequenas velocidades.

Por esses motivos, é necessário que essa parte do carro esteja com a manutenção em dia, para isso listamos algumas dicas que vão te ajudar na hora de fazer o reparo ou a substituição desse componente.

O desgaste desse recurso é feito de forma progressiva, e muitas vezes não é notada pelo condutor, mais alguns sinais alertam sobre a má condição dos amortecedores, entre eles a iluminação do automóvel, amortecedores comprometidos fazem com que os faróis dianteiros oscilem, e muitas vezes não iluminem a via de uma forma uniforme, o que pode levar a sérios danos e acidentes.

Além disso, a direção do automóvel é afetada quando os amortecedores estão em condições ruins, alguns dos sinais que o seu carro apresenta é a dificuldade do volante voltar a sua posição inicial após uma curva, a direção fica menos maleável, se tornando mais difícil para o condutor e o veículo começa a “fugir” das curvas, o que compromete a estabilidade e a segurança do veículo na estrada.

Vale lembrar que amortecedores em más condições podem afetar outras partes do automóvel, entre elas os pneus, os rolamentos das rodas, os apoios de motor, o chassi, entre outros. Por isso é necessária a manutenção dessa peça, já que ela pode comprometer outras partes do seu carro e ainda causar graves acidentes se não estiver em condições favoráveis de uso.

Alguns analistas indicam que a troca dos amortecedores deve ser feita a cada 40 mil quilômetros, mas tudo vai depender da frequência que o carro é usado e as condições das ruas que ele transita. Por isso é necessário levar o seu carro as revisões corretamente, esta é a melhor forma de evitar grandes problemas.

Evitar ruas esburacadas ou desviar dos buracos, dirigir devagar e não exceder o limite de carga do seu veículo também são dicas que evitam o desgaste precoce dos amortecedores, por isso fique atento, muitos prejuízos e acidentes podem ser evitados tendo os amortecedores do seu carro em perfeitas condições.

Ar Condicionado – Dicas para manter este recurso sempre novo

O conforto do ar condicionado é uma das exigências da grande parcela dos compradores de carros, muitos possuem esse item como obrigatório na hora de escolher o veículo dos sonhos, por isso alguns pontos na hora de fazer a manutenção dessa parte do veículo são de extrema importância.

Além de trazer problemas ao seu carro, um ar condicionado mal ou não higienizado pode trazer sérios riscos a sua saúde, como rinite, asma e em casos mais severos, pneumonia. Por isso, neste post reunimos algumas dicas que vão te ajudar a manter o ar condicionado do seu carro em perfeitas condições.

Como saber se o filtro do ar condicionado do meu carro precisa ser trocado?

Se o ar condicionado do seu carro não está desempenhando o mesmo trabalho que antes, como por exemplo, agora você precisa aumentar a potência do ar para ter o resultado que antes era lhe oferecido na primeira velocidade, ou quando você liga o ar condicionado sente cheiro de mofo, são sinais de que o seu ar condicionado precisa de manutenção.

Qual o prazo para a troca dos filtros e higienização?

Não tem nenhuma data certa para a troca dos filtros de ar feita pelos especialistas, mas dependendo do ambiente que o seu carro anda e a frequência do uso deste recurso o recomendado é que os filtros sejam higienizados ou trocados a cada 7.500km, ou até mesmo de 6 em 6 meses.

Quais produtos podem ser usados na higienização do filtro?

Atualmente temos no mercado sprays que realizam a higienização dos filtros de forma eficiente e rápida, os quais podem ser adquiridos em lojas de peças e acessórios automotivos, e a utilização pode ser feita pelo próprio condutor, mas lembrando que em alguns casos a higienização feita por profissionais é a melhor opção e garante uma limpeza mais profunda ao filtro.

Manter o ar condicionado do seu carro em perfeitas condições garante para você melhores condições de saúde e viagens mais agradáveis, por isso, realize a manutenção desse recurso sempre que necessário e procure especialistas sempre que tiver dúvidas sobre esse assunto.

[Top 5] – Dicas para manter o seu carro sempre novo – Disk Peças

Como todos os recursos, os carros também merecem um pouco da sua atenção. Cuidados básicos e rotineiros fazem com que o seu companheiro aguente muito mais tempo do que o analisado pelas concessionárias.  Listamos cinco dicas que com certeza vão fazer com que o seu carro continue muito mais tempo andando por aí. Continue lendo “[Top 5] – Dicas para manter o seu carro sempre novo – Disk Peças”